"Uma criança é como o cristal e como a cera. Qualquer choque, por mais brando, a abala e comove, e a faz vibrar de molécula em molécula, de átomo em átomo; e qualquer impressão, boa ou má, nela se grava de modo profundo e indelével." (Olavo Bilac)

"Un bambino è come il cristallo e come la cera. Qualsiasi shock, per quanto morbido sia
lo scuote e lo smuove, vibra di molecola in molecola, di atomo in atomo, e qualsiasi impressione,
buona o cattiva, si registra in lui in modo profondo e indelebile." (Olavo Bilac, giornalista e poeta brasiliano)

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Quando Desconectados

Este texto é de uma pessoa muito querida, que se tornou uma amiga especial. Aos poucos fomos nos aproximando mais, compartilhando idéias, palavras e sentimentos sobre a vida. Muita honra para mim, pois é uma pessoa com muito mais experiência de vida que eu.
Roza, com z, tem uma vida construída em cima de trabalho, respeito e amor por todos que a cercam. Ela é mulher, mãe da uma bonita família, "quase vovó", ser humano sensível, encantador e iluminado.
Obrigada Roza, por fazer parte de minha vida e por me agraciar com seus e-mails, poemas e o carinho involuntário de sempre.
Cintia Liana

Foto: Google Imagens

Quando desconectados


Por Antonia Roza


A vida com seus altos e baixos, com as obrigações familiares, sociais, ocupacionais, assistenciais, vai deixando em nós marcas e, pior que isso, vai nos roubando a energia, o vigor, a coragem, vai tolhendo nossos movimentos e nos leva, finalmente, a desejar um lugar onde possamos enfiar a cabeça, isolando-nos do mundo, de tudo e de todos, para que possamos sentir um pouco de paz.
Chega um momento em que, para não piorarmos a situação, vamos nos calando, calando, sem querer preocupar ou incomodar ninguém e vamos sufocando nossa voz, tolhendo nossos movimentos, ficando inferiorizados, esquecendo de que somos estudiosos, inteligentes, dedicados e muito capazes para enfrentar grandes desafios. Ficamos minúsculos diante de situações e de seres que longe estão de atingir nosso nível de discernimento e de desenvolvimento e, em assim nos sentindo, perdemos totalmente a alegria da vida.
Isso só ocorre com as pessoas comprometidas com a família, com os amigos, com as responsabilidades.
Nesse emaranhado em que nos encontramos, ficamos desconectados do nosso “Eu Superior”, esquecemos de nossas crenças e de que, em momento algum, Deus não nos abandona.
Quando pensamos que estamos sofrendo escondidos , sozinhos, ele sussura ao ouvido de alguém e, este alguém passa a se preocupar conosco, independentemente de falarmos qualquer coisa. Aceite a orientação dessa pessoa que procura lhe ajudar.
Certamente ela lhe recomendará ir ao médico, a um psicólogo ou a um outro profissional habilitado.
Não seja resistente , não aumente o seu sofrimento. Seja dócil e humilde o bastante para se deixar conduzir. Tem momentos na vida em que temos que nos entregar aos cuidados de quem nos ama, de quem quer nos ajudar. O nosso Pai quer que nos deixemos carregar quando o peso do nosso fardo estiver demais para nós sozinhos.

@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@@

Roza, você é linda!
Por Cintia Liana

6 comentários:

Teles disse...

A beleza da mensagem "Quando desconectados" tocou-me profundamente. A autora penetra no mais íntimo de meu "ser", leva-me a uma reflexão interior, faz-me ir fundo no meu passado, no meu dia-dia, e, finalmente, num mágico passe de fé, mostra-me que a teia de cobranças da sociedade em que vivo e em que vivemos, tem amparo real no atento ouvido à voz de quem quer nos acolher, nos ajudar, de quem aqui, bem perto de nós optou por servir, doar-se e salvar irmãos... À voz dos psicólogos, terapêuticos, evangélicos, religiosos e à voz daqueles que, como vocês, por opção e amor, vivem para servir. Estou em paz por confirmar o meu saber de que existem pessoas como vocês Roza e Cintia. E a você, Cintia, a minha admiração pela humildade e inteligência em acolher e reverenciar esta autora, esta Roza (com z), uma roza especial, pelo modo de viver e de ver o mundo e de reconhecer que o "nosso mundo", que é o nosso ser, tem quem ofereça colo, carinho e amor! Meu abraço José Teles

Cintia Liana disse...

Sr. Teles, que delicadeza... Obrigada pelas palavras de carinho. Me sinto abençoada.
Muito obrigada pelo comentário, pois rega aqui as palavras que são sementes que plantamos e vcs ajudam a fortalecê-las.
Roza de fato é um ser especial, particular e merece todas as homenagens.
Saudações.

Marilia Aguiar disse...

Também gostei enormemente do texto. Primeiro por perceber que são palavras que vem do coração, e, depois, por saber que fala da vida real, sem máscaras. É exatamente assim. Quando estamos tristes e com várias obrigações, como bem disse a autora, esquecemos de todas as potencialidades que há em nós, pois o ser humano é o único ser capaz de antecipar na mente os objetivos e resultados das ações futuras. É por esse pôr teleológico que somos tão especiais. No entanto, quando tais objetivos e resultados antecipados não são alcançados do jeito que gostaríamos, vem a frustração e a tristeza. Mas, assim como sabiamente nos fala a autora do texto acima, somente pessoas preocupadas com a família, com os amigos e as responsabilidades são capazes de se frustrarem de tal forma, pois são essas pessoas que buscam entregar, no cuidado e no respeito com os outros, o melhor de si.
Pra mim, esse texto fala muito da autora, pois a conhecendo muito bem como eu conheço, sei que o texto é um tanto autobiográfico, pois é desse jeito que Roza, com z, é. Maravilhosa, amável, sempre preocupada com todos a sua volta e acima de tudo, verdadeiramente humana, capaz de reunir em si todas as potencialidades do homem. Que nós possamos tentar sempre, mesmo que errando, mas desistir nunca, pois como já dizia nosso velho e sábio Charles Chaplin “até os planetas se chocam. E, do caos, nascem as estrelas.” Que você continue nos engrandecendo com seus textos lindíssimos. Te amo muito

Maísa Aguiar- Assistente Social

*obs: só consegui postar com a conta de Marília, mas não faz mal.

FIONA disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
CILA CERQUEIRA disse...

Cila Cerqueira

Um Belo texto, escrito por um ser humano incrível!

Amei, pois me identifiquei.

Gostaria de aproveitar a oportunidade e declarar publicamente que Tia Roza tem sido um desses "Anjos de Deus" na minha vida e da minha família.

Ela é dedicada, amorosa, capaz em tudo o que faz e, como se não bastasse, é uma mulher de uma inteligência que nos orgulha.

Cila Cerqueira- jornalista

Silvana disse...

É impressionante ver que pessoas que nos são distante possam nos tocar com tanto ímpeto como o que me aconteceu ao ler o texto escrito por RoZA. Sentimentos mil nascem no âmago do ser humano sem que consigamos expressá-los com tanta clareza e maestria. Certamente RoZa demonstra uma sabedoria peculiar aos iluminados. Suas palavras tocam nossa alma de maneira a nos fazer refletir sobre a nossa maneira de encarar a vida. É indiscutível a facilidade com que ela explora o cerne das emoções humanas colocando palavras certas para descrevê-las. O cotidiano nos absorve de tal maneira a nos fazer esquecer a nossa pequenez e a nossa vulnerabilidade diante do CRIADOR . A autora de tão rico texto é uma observadora do SER em seu meio e demonstra uma grandeza de alma quando não julga, apenas faz considerações e aconselha como uma mãe acolhedora. Parabéns RoZa e obrigada Cintia por sua amizade generosa.
Silvana Carraro
CarraroSil@gmail.com
Scaluc1@hotmail.com
Advogada- Curitiba- Paraná