"Uma criança é como o cristal e como a cera. Qualquer choque, por mais brando, a abala e comove, e a faz vibrar de molécula em molécula, de átomo em átomo; e qualquer impressão, boa ou má, nela se grava de modo profundo e indelével." (Olavo Bilac)

"Un bambino è come il cristallo e come la cera. Qualsiasi shock, per quanto morbido sia
lo scuote e lo smuove, vibra di molecola in molecola, di atomo in atomo, e qualsiasi impressione,
buona o cattiva, si registra in lui in modo profondo e indelebile." (Olavo Bilac, giornalista e poeta brasiliano)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

História de um Bebê

Recebi essa linda história em 2007, de um dos pais que assistia minhas palestras sobre família e adoção, quando eu ainda trabalhava na Vara da Infância.
É de um autor desconhecido.



Foto: Google Imagens

“Ele tinha quatro meses quando foi parar numa instituição de menores e pesava 7.600Kg. De repente, não quis mais se alimentar, cerrava os lábios, fechando a boquinha. Seu peso caiu para 2.800Kg. Ficou como se fosse um feto. Cabia na palma da mão de um homem. Seu corpinho não manifestava movimento algum, estava inerte, parado, vivo, mas era como se não o estivesse. Fora abandonado pela mãe naquele lugar. Os médicos fizeram de tudo, mas perceberam que aquela criança queria morrer.

Uma funcionária da casa, vendo a situação, começou a fazer um trabalho muito sério e cheio de amor. Iniciou uma conversa com aquela criança. “Neném, a vida é linda, vale a pena viver!”. Lambendo o seu corpinho ela fazia com a criança o mesmo que um animalzinho faz com seu filhote. Passava-lhe calor, calor humano.

Passaram-se os dias, a criança começou a reagir e a aceitar o chá no conta-gotas e logo em seguida o leite. Certo dia, quando ela o carregava junto ao peito, sua mãozinha escorregou e caiu dentro de seu seio. A criança estremeceu todo o seu corpinho que até então estava inerte. Ela também sentiu uma sensação de arrepio por todo o corpo. Então percebeu que a criança queria mamar no peito. No local havia seis mães que estavam amamentando. A criança foi levada para mamar, mas recusou a todas. Sem saber o que fazer, a funcionária enfiou a mão dentro da blusa e retirando o seio o colocou na boca da criança, que imediatamente o sugou como se daquele seio saísse muito leite. Daí em diante, ela o adotou.

Esta criança mamou durante três anos. Quando a criança queria o peito, ela dizia: “Querido, mamãe não tem mais leite”. A criança respondia: “tem amor mamã...!” Hoje, essa criança tem dezesseis anos e sabe que foi salva pelo remédio mais eficaz do mundo: o amor, o amor de sua mãe substituta.
 
Autor Anônimo

*********


Confirmada!


* Caminhada pró Adoção*
16 de maio de 2010
10 horas
Rio de Janeiro - RJ, Praia de Copacabana, com saída do Posto 6.

Contamos com a presença e divulgação de todos.

Postado Por Cintia Liana

Livro da Psicóloga Cintia Liana sobre o percurso de construção da família através da adoção e seus aspectos psicológicos.
Para comprar ou visualizar:
http://www.agbook.com.br/book/43553--Filhos_da_Esperanca
(2ª Edição - 2012)

2 comentários:

nubia matos de oliveira disse...

que linda essa estória !!!!

nubia matos de oliveira disse...

QUE LINDA ESTÓRIA!!!!!!!