"Uma criança é como o cristal e como a cera. Qualquer choque, por mais brando, a abala e comove, e a faz vibrar de molécula em molécula, de átomo em átomo; e qualquer impressão, boa ou má, nela se grava de modo profundo e indelével." (Olavo Bilac)

"Un bambino è come il cristallo e come la cera. Qualsiasi shock, per quanto morbido sia
lo scuote e lo smuove, vibra di molecola in molecola, di atomo in atomo, e qualsiasi impressione,
buona o cattiva, si registra in lui in modo profondo e indelebile." (Olavo Bilac, giornalista e poeta brasiliano)

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Têm crianças que só são indicadas para adoção após os 10 anos!

Mandy Lynne

Houve crescimento do número de candidatos a adoção, mas não no número de adoções, o CNA não funciona como deveria e as crianças são indicadas para adoção com uma idade em que muitos adotantes já não querem mais. Às vezes a destituição do poder familiar requer muito tempo.

Infelizmente hoje, por exemplo, estão colocando crianças para adoção internacional com mais de 10 anos de idade, com 14, os casais italianos não têm desejo de ter um filho que esteja com 14 anos, eles querem uma criança que ao menos tenha no máximo 11 anos.

Devemos procurar famílias para atender os direitos da criança, e não uma criança para satisfazer os desejos de uma família, mas deixar uma criança crescer para só depois indicá-la para adoção e bem mais tarde para a adoção internacional é negar a ela o direito de um futuro em segurança, um futuro com amor, é deixar que ela leve a marca do sentimento de abandono e desamparo, é muito sofrimento e insegurança que elas passam. Quem conhece bem abrigos sabe disso.

As autoridades devem saber a hora de parar de insistir na reinserção na família biológica, depois tentar a adoção nacional e saber a hora de passar a tentar a internacional, mas se passa de uma certa idade fica mais difícil ou até impossível a adoção, a criança cresce e fica sozinha.

Quanto a duração de um proceso de adoção, não tem tempo estipulado, porque vai depender de uma série de variáveis, como idade da criança, tempo em que o juiz estipula para o estágio de convivência, tempo para serem dados os pareceres, tempo para os laudos da equipe tecnica serem emitidos, feriados, férias, recessos do sistema judiciário e outras coisas.

Por Cintia Liana

Um comentário:

Edna Santos disse...

Infelizmente está é a triste realidade das nossas crianças institucionalizadas que além de perderem suas famílias biológicas não têm ninguém para lutar pelo direito sagrado delas terem uma família.
Edna dos Santos
edna@adocaobahia.com.br